Formação de voluntários ajuda fisioterapeutas brasileiros a se preparar para os Jogos Olímpicos Rio

Compartilhe esta pagina com o Whatsapp

brazilian olympic volunteers.png-04082016Fisioterapeutas no Brasil têm vindo a preparar para ser voluntário nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, com uma série de cursos de formação gratuitos organizados pela Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva (SONAFE).

Nos últimos dois anos, fisioterapeutas têm aperfeiçoado suas habilidades em áreas como a gravação de esportes e modalidades eletrotécnicos. A formação e atenção em fisioterapia foi bem recebida pela Associação dos Fisioterapeutas 'do Brasil (AFB), que têm vindo a trabalhar em parceria com SONAFE desde 2014.

"Os Jogos Olímpicos vai aumentar a visibilidade do fisioterapeuta brasileiro, levando a uma maior atenção na investigação, publicações e troca", diz o presidente da AFB Denise Flávio de Carvalho Botelho Lima. "O reconhecimento internacional da fisioterapia no Brasil é o grande legado."

Formação está disponível em todo o Brasil através de uma série de oficinas de viagem e oportunidades de compartilhamento de habilidade. Agora 127 voluntários irão apoiar atletas de todo o mundo no Rio este mês.

presidente SONAFE Luciana De Michelis Mendonça diz que o treinamento se expandiu o conceito de voluntariado no Brasil. Um aumento do número de fisioterapeutas especializados "são o primeiro passo no legado olímpico do Rio de Janeiro para fisioterapia esportiva no Brasil."

Voluntários no Olympic Village Policlínica também se beneficiaram de formação ministrada pelo Comitê Organizador Rio 2016. Cursos incluíram aulas de inglês on-line e trauma avançado e suporte de vida.

"A padronização do conhecimento é essencial", diz Felipe Tadiello, sócio fundador da SONAFE e consultor para o Comitê Organizador Rio. "Esta é outra fase importante para fisioterapeutas - mesmo para aqueles que já têm grande conhecimento sobre cuidados de emergência nos esportes."

A AFB destaca que os cursos sinalizar o número crescente de fisioterapeutas especializados no Brasil, e espero que SONAFE acabará por se juntar à Federação Internacional de Esportes Fisioterapia (IFSPT).

"A cooperação internacional acelera a circulação de conhecimentos entre os países", diz de Carvalho Botelho Lima. "Esperamos que todos os envolvidos neste trabalho irá beneficiar pessoalmente e profissionalmente."
Relacionadas com esta história

Londres 2012 atletas reconhecem grande contribuição de fisioterapeutas
Os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016


Texto em Inglês


Volunteer training helps Brazilian physical therapists prepare for Rio Olympics

Physical therapists in Brazil have been preparing to volunteer at the Olympic and Paralympic Games with a series of free training courses organised by the National Society of Sports Physiotherapy (SONAFE).

For the past two years physical therapists have been refining their skills in areas such as sports taping and electrothermal modalities. The training and attention on physical therapy has been welcomed by the Physiotherapists' Association of Brazil (AFB), who have been working in partnership with SONAFE since 2014.

“The Olympic Games will increase the visibility of Brazilian physical therapy, leading to increased attention on research, publications and exchange,” says AFB president Denise Flávio de Carvalho Botelho Lima. “International recognition of physical therapy in Brazil is the great legacy.”

Training has been available across Brazil through a series of travelling workshops and skill-sharing opportunities. Now 127 volunteers will support athletes from across the world in Rio this month.

SONAFE president Luciana De Michelis Mendonça says the training has expanded the concept of volunteering in Brazil. An increased number of specialised physical therapists “are the first step in Rio's Olympic legacy for sports physiotherapy in Brazil.”

Volunteers at the Olympic Village Polyclinic have also benefitted from training provided by the Rio 2016 Organising Committee. Courses have included online English lessons and advanced trauma and life support.

“The standardization of knowledge is essential,” says Felipe Tadiello, founding partner of SONAFE and consultant for the Rio Organising Committee. “This is another important phase for physical therapists – even for those who already have great knowledge about emergency care in sports.”

The AFB highlights that the courses signal the growing number of specialised physical therapists in Brazil, and hope that SONAFE will eventually join the International Federation of Sports Physical Therapy (IFSPT).

“International co-operation speeds up the circulation of knowledge between countries," says de Carvalho Botelho Lima. "We hope that everyone involved in this work will benefit personally and professionally.”
Related to this story

London 2012 athletes recognise major contribution from physical therapists
The 2016 Olympic and Paralympic Games